Início > Noticias > Todos os 54 municípios do oeste do Paraná estão no Programa Cidades Sustentáveis

Todos os 54 municípios do oeste do Paraná estão no Programa Cidades Sustentáveis

Última cidade da região a aderir ao programa foi Iguatu; presidente do Conselho dos Municípios Lindeiros ao Lago de Itaipu e coordenador do PCS pela Itaipu Binacional falam sobre importância da iniciativa 

Por Airton Goes, Programa Cidades Sustentáveis 

Ao assinar a carta-compromisso do Programa Cidades Sustentáveis (PCS), Iguatu se tornou o 54º município do oeste do Paraná a aderir à plataforma. Agora, todas as prefeituras daquela região estão comprometidas com a agenda do PCS, que tem atuado de forma pioneira na municipalização e implementação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). 

Para se chegar a esse importante resultado, houve um trabalho de sensibilização das gestões municipais, que incluiu a realização de oficinas e reuniões. Três organizações foram fundamentais para o êxito do processo: o Conselho de Desenvolvimento dos Municípios Lindeiros ao Lago de Itaipu, a Diretoria de Coordenação da Itaipu Binacional e a Associação dos Municípios do Oeste do Paraná (Amop)

Uma das oficinas ocorreu em março deste ano, no Parque Tecnológico Itaipu. Representantes de 33 municípios participaram da capacitação, que foi realizada por Zuleica Goulart e Clara Meyer Cabral, respectivamente coordenadora de mobilização e coordenadora de indicadores do Programa Cidades Sustentáveis.

Ao comemorar a adesão de todos os municípios do oeste do Paraná ao PCS, Zuleica relata que a conquista é resultado do trabalho que tem sido realizado na região desde 2012, quando foi lançada a plataforma. “Na ocasião, a Itaipu Binacional firmou uma cooperação com o programa, com o objetivo de potencializar as ações que estavam sendo desenvolvidas na região em prol do desenvolvimento sustentável”, lembra ela.

Zuleica destaca a atuação das gestões municipais em relação à agenda proposta pelo Programa Cidades Sustentáveis: “Neste momento, é importante reconhecer os esforços dos gestores públicos da região na busca por soluções para enfrentar os principais desafios encontrados e promover transformações locais e regionais”. 

Segundo ela, esses esforços dos gestores públicos resultam em avanços, pois visam tornar as cidades mais justas, democráticas, inclusivas, saudáveis e sustentáveis. “Dessa forma, os municípios poderão proporcionar uma boa qualidade de vida a seus moradores”, complementa. 

Entre os avanços registrados na região, a coordenadora de mobilização do PCS lembra que, em 2016, os municípios de Ubiratã, Toledo e Quatro Pontes foram agraciadas com o Prêmio Cidades Sustentáveis em diversas áreas temáticas. 

Leia: Prêmio Cidades Sustentáveis é entregue a municípios que promovem políticas públicas exitosas

O treinamento oferecido pelo Programa Cidades Sustentáveis foi resultado de um convênio celebrado entre o Conselho de Desenvolvimento dos Municípios Lindeiros ao Lago de Itaipu e a Diretoria de Coordenação da Itaipu Binacional, com o apoio da Amop. 

Entre os objetivos do convênio estava o de buscar a adesão de todos os 54 municípios da região ao Programa Cidades Sustentáveis. Meta agora conquistada. 

“É extremamente importante e positivo o fato de todos os municípios da região terem se comprometido com o PCS”, afirma Cleci Rambo Loffi, prefeita da cidade de Mercedes e presidente do Conselho de Desenvolvimento dos Municípios Lindeiros ao Lago de Itaipu. 

Entre os benefícios gerados pela plataforma, ela cita que as prefeituras dispõem de indicadores para analisar com mais eficiência as suas ações e melhorar a qualidade da gestão. 

Segundo Cleci, com o PCS foi possível também descobrir que diversas ações de sustentabilidade já vinham sendo executadas nos municípios da região. “Porém, a gente não dava a devida importância.” 

Ela avalia que os municípios abraçaram a causa ambiental. “Além de reforçar as ações destinadas à sustentabilidade das cidades, os prefeitos da região estão atuando para que a população conheça o Programa Cidades Sustentáveis e se envolvam com a agenda da sustentabilidade”. 

A presidente do Conselho de Desenvolvimento dos Municípios Lindeiros ao Lago de Itaipu lista algumas atividades desenvolvidas na região, nas áreas de resíduos, compostagem, energias renováveis e preservação das nascentes de água. “Fico muito feliz, pois não foi simplesmente a assinatura de um convênio [com a Diretoria de Coordenação da Itaipu Binacional], os municípios se envolveram com o tema e promovem várias ações diferentes”, comemora.  

Cleci relata ainda um programa ambiental desenvolvido nas escolas da cidade de Mercedes. “Desenvolvemos atividades com as nossas crianças, para que elas cresçam tendo essa preocupação com a preservação do meio ambiente”. 

E conclui, dando um conselho para prefeitos e prefeitas de outras regiões do Paraná e do Brasil. “Posso afirmar, por experiência própria, que os municípios que ainda não aderiram ao Programa Cidades Sustentáveis não sabem o que estão perdendo.”

Quem também comemora os resultados da parceria é Gilmar Eugênio Secco, assistente da Diretoria de Coordenação da Itaipu Binacional. “Para nós é muito importante que todos os 54 municípios tenham aderido ao Programa, pois cada vez mais estamos consolidando essa parceria para trabalhar o PCS de forma integrada na região”. 

Coordenador do PCS pela empresa, ele relata que até o final do ano passado, 42 municípios haviam assumido compromisso com a plataforma. “Este ano, com a forte participação do Conselho de Municípios Lindeiros ao Lago de Itaipu, conseguimos alcançar a todos.” 

Na avaliação de Secco, trabalhando em rede e de forma integrada, a região está se consolidando como uma referência para o Brasil em termos de desenvolvimento sustentável. 

Ele explica que os programas ambientais da Itaipu Binacional são abertos a participação de todas as cidades, de forma igualitária. “Os municípios são aliados e não concorrentes nesse processo”.  

Segundo o assistente da Diretoria de Coordenação da Itaipu Binacional, “o PCS consolida essa forma de atuação”. 

Novos desafios

As oficinas e atividades de capacitação terão continuidade nas cidades do oeste do Paraná. Até porque, os municípios também começam a se preparar para o Concurso Regional de Boas Práticas, promovido através do Convênio Cidades Sustentáveis. 

As ações aplicadas na região também serão inscritas no Concurso Nacional – 3ª edição do Prêmio Cidades Sustentáveis, a ser realizada pelo PCS.