Início > Noticias > São Paulo precisa de educação ambiental e aumento da compostagem

São Paulo precisa de educação ambiental e aumento da compostagem

Defesa dessas medidas foi feita durante evento de apresentação dos resultados da pesquisa “A cidade e o meio ambiente”. 

Por Airton Goes, da Rede Nossa São Paulo 

Ao avaliar os resultados da pesquisa “A cidade e o meio ambiente”, Fernando Beltrame, do Grupo de Trabalho (GT) Meio Ambiente da Rede Nossa São Paulo, destacou a necessidade de haver educação ambiental na cidade e defendeu o aumento da compostagem. “Entre 50 e 60% de todo o lixo recolhido é composto por material orgânico e só temos uma planta de compostagem em São Paulo”, lamentou ele. 

Um dos dados do levantamento mostrou que 48% dos paulistanos consideram “ruim” ou “péssima” a preservação/manutenção dos parques e praças da capital paulista. Em relação a esse tema, Beltrame informou que “menos de 0,5% do orçamento é utilizado em parques e praças”, antes de complementar: “Não existem milagres”.

As declarações de Beltrame foram feitas durante o evento de apresentação dos resultados da pesquisa, promovido pela Rede Nossa São Paulo e Ibope Inteligência, em parceria com o Sesc São Paulo

Realizada nesta quarta-feira (13/6) no Sesc Interlagos, a atividade incluiu um debate com especialistas e ativistas ambientais.

Antes da apresentação da pesquisa, o coordenador-geral da Rede Nossa São Paulo, Jorge Abrahão, lembrou dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável aprovados pela Organização das Nações Unidas (ONU), em 2015, e que foram assumidos por 193 países, incluindo o Brasil. 

“O que temos observado é que as políticas públicas colocadas em prática no país não estão em sintonia com os compromissos e as metas que foram aprovadas pela ONU”, avaliou ele.   

Segundo Abrahão, os candidatos ao Executivo e ao Legislativo, nas próximas eleições, devem assumir compromisso com a sustentabilidade. “É importante que todos os eleitores fiquem atentos, pois temos o poder do voto”, alertou. 

Em seguida, os resultados da pesquisa “A cidade e o meio ambiente” foram apresentados por Patrícia Pavanelli, do Ibope Inteligência. 

Confira aqui a apresentação da pesquisa "A Cidade e o meio ambiente.

Confira aqui a pesquisa completa. 

Debate

Mariana Belmont, do Coletivo Imargem, relatou que as áreas verdes são pouco usadas pela população do território (zona sul da cidade). “Temos quatro parques fechados na região e as pessoas nem sabem que eles existem”, comentou.  

Ela defendeu a produção de alimentos orgânicos e a alimentação saudável e lembrou “que as periferias das cidades são as regiões que primeiro sofrem as consequências das mudanças climáticas”.

A poluição do ar foi o tema abordado por Evangelina Vormittag, do Instituto Saúde e Sustentabilidade. “Cerca de 65% da população tem conhecimento que a poluição do ar faz mal para a saúde”, apontou ela.

Evangelina lembrou que a inspeção veicular ambiental foi aprovada há 20 anos e todos os estados deveriam fazer esse controle. Ela explicou que a responsabilidade deveria ser dos governos estaduais, mas só o Rio de Janeiro cumpre a lei. 

Na pesquisa “A cidade e o meio ambiente”, 30% dos pesquisados favoráveis a adoção de medidas para restringir a circulação de veículos apontam o retorno da inspeção veicular ambiental como a alternativa que mais ajudaria a diminuir a poluição na cidade.

Outro ponto abordado por Evangelina foi a recente greve dos caminhoneiros. “Tivemos [no período da paralisação] uma redução drástica da circulação de veículos leves e pesados e, com isso, a poluição do ar foi reduzida em até 70% em algumas regiões da cidade”, relatou.   

Já Luiza Lima, do Greenpeace Brasil, argumentou que é preciso pressionar as empresas, para que não produzam de forma não sustentável, e o governo, para que aprove leis e regram que disciplinem essa questão.   

Por fim, Wellington Neri, o Tim, também do Coletivo Imargem, ponderou que os resultados do levantamento levam a muitas reflexões e questionamentos, inclusive do ponto de vista pessoal. “Enquanto a gente não alterar essa lógica, de pensar que está tudo certo, nada vai mudar.”    

Ele sugeriu fortalecer os espaços de aprendizagem e as práticas positivas que já existem. 

Na parte final do debate, o coordenador-geral da Rede Nossa São Paulo, Jorge Abrahão, relacionou o dado da pesquisa, que registra 76% dos paulistanos favoráveis a restrição do uso dos automóveis como forma de combater a poluição do ar, com o fato de 4.700 pessoas morrerem por ano na cidade de São Paulo por problemas respiratórios. “Esse dado é estarrecedor”, declarou.  

Ele explicou que as pesquisas divulgadas pela Rede Nossa São e Ibope Inteligência, em parceria com o Sesc São Paulo, visam mobilizar a sociedade e os governos para que sejam colocas em prática políticas públicas destinadas a combater os problemas evidenciados nesses levantamentos.

A pesquisa “A cidade e o meio ambiente” integra a série “Viver em São Paulo”, que foi iniciada este ano e mensalmente tem divulgado dados sobre a percepção dos paulistanos em relação a temas importantes que afetam a vida na capital paulista.  

Propositalmente, a apresentação dos resultados do levantamento foi realizada no Sesc Interlagos – um espaço com muito verde situado à beira da Represa Billings, na zona sul de São Paulo.

O evento contou com as presenças do vereador Eduardo Suplicy e do ex-secretário municipal de Transportes, Jilmar Tatto. 

Após o debate, Suplicy anunciou que a sua assessoria irá elaborar um projeto de lei para facilitar o transporte de material orgânico para compostagem, como já acontece, por exemplo, na cidade do Rio de Janeiro. 

A parte cultural da atividade ficou por conta do Sarau do Binho, cujos integrantes recitaram poemas e interpretaram canções relacionadas ao tema. 

Leia também: Quase metade dos paulistanos considera ruim ou péssima a manutenção de praças e parques 

Veja a repercussão na mídia:

 

3/4 dos paulistanos querem limitar circulação de veículos para diminuir poluição, diz pesquisa (ESTADÃO)

76% são a favor de limitar circulação de veículos para reduzir poluição em SP, diz pesquisa (G1)

Pesquisa mostra que para reduzir poluição, 76% dos paulistanos aceitariam mais restrições ao uso de carros (ADAMO BAZANI)

Pesquisa mostra 76% favoráveis a medidas que limitam circulação de carros para reduzir poluição (METRO JORNAL)

Paulistanos querem limitar circulação de veículos (GRUPO LIBERAL)

Pesquisa mostra que para reduzir poluição, 76% dos paulistanos aceitariam mais restrições ao uso de carros (DIÁRIO DO TRANSPORTE)

Pesquisa diz que 76% dos paulistanos aceitam restringir uso de carros (AGÊNCIA BRASIL)

Quase metade dos paulistanos avaliam negativamente preservação de praças e parques (SETOR 3)

3/4 dos paulistanos querem limitar circulação de veículos para reduzir poluição (JOVEM PAN)

Pesquisa diz que 76% dos paulistanos aceitam restringir uso de carros (REDECLIPEX)

Dados de pesquisa apontam que 76% dos paulistanos aceitam restringir uso de carros (GRNEWS)

3/4 dos paulistanos são favoráveis à restrição da circulação de veículos (DESTAK)

3/4 dos paulistanos querem limitar circulação de veículos para diminuir poluição (FUNVERDE)

Manutenção das áreas verdes é mal avaliada (DCI)