Início > Noticias > Prefeito de Porto Alegre pede ajuda em gestão sustentável

Prefeito de Porto Alegre pede ajuda em gestão sustentável

Nelson Marchezan Júnior participou de evento sobre Prometa (Plano de Metas da cidade), que condensa as promessas de campanha 

Por Marcus Meneghetti, do Jornal do Comércio

Em vez de assinar a carta-compromisso do Programa Cidades Sustentáveis - que promove práticas de desenvolvimento sustentável na gestão pública -, o prefeito Nelson Marchezan Júnior (PSDB) e os coordenadores do programa se comprometeram em realizar reuniões periódicas para formular metas exequíveis e reduzir os indicadores de avaliação da gestão.

O anúncio foi feito dois dias depois de o tucano receber os representantes do programa no Paço Municipal, em uma palestra conduzida pelo coordenador-geral do programa Cidades Sustentáveis e criador do Fórum Social Mundial, Oded Grajew, sobre o Programa de Metas (Prometa) de Porto Alegre. O evento aconteceu na Câmara Municipal de Porto Alegre.

O projeto de lei que deu origem ao Prometa foi inspirado no Cidades Sustentáveis. O programa sugere que os prefeitos que assinam a carta-compromisso transformem suas propostas de campanha em um plano de metas para a gestão. O Prometa consta na legislação a partir de alteração na Lei Orgânica do Município.

O autor do texto foi o adversário de Marchezan na eleição de 2016, o ex-vice-prefeito Sebastião Melo (PMDB), que também estava presente no evento do Fórum Social, sentado na mesma bancada que o tucano, cada um em uma extremidade. Grajew - que afirmou em diversos momentos que o Cidades Sustentáveis era apartidário - estava sentado no meio.

O peemedebista resumiu a trajetória da matéria até ser aprovada: "Propus o texto no meu último ano como vereador (em 2012), depois de conversar com o pessoal do Programa Cidades Sustentáveis. Saí da Câmara para concorrer a vice-prefeito. E, no ano passado, a vereadora Jussara Cony (PCdoB) desarquivou o projeto, que foi aprovado por unanimidade".

Melo mandou ainda um recado para o atual prefeito, que deve ser o primeiro a seguir as regras do Prometa. "Marchezan, essa é uma excelente ferramenta que tens nas mãos. Vai qualificar a gestão e ampliar a transparência", falou o ex-vice-prefeito.

Antes das falas dos convidados - além de Marchezan e Melo, também estavam presentes o vereador André Carus (PMDB) e o ex-presidente do Instituto Ethos Jorge Abraão -, Grajew explicou que o Programa Cidades Sustentáveis não só propõe aos gestores a criação de metas, mas também faz uma avaliação dos governos municipais através de mais de 300 indicadores relacionados ao desenvolvimento sustentável.

Ao se pronunciar, Marchezan disse que a cidade não tinha condições de alcançar bons resultados em tantos indicadores. "É inviável", disse. E prosseguiu: "Não temos capacidade de cumprir tantas metas. Mas me comprometo a sentar com vocês (do Cidades Sustentáveis) para pensarmos juntos metas ajustadas ao orçamento paupérrimo de Porto Alegre".

Grajew aceitou. "Vamos pensar em como podemos ajudar. Vamos consultar as entidades que são nossas parceiras. Porto Alegre pode se tornar inclusive referência de gestão diante da escassez de recursos", disse, aceitando o convite do prefeito da Capital de ter encontros para tratar do tema. 

Foto: Luciano Lanes / PMPA

Matéria publicada no Jornal do Comércio.

Leia também: Coordenador da Rede Nossa São Paulo defende que se pense sustentabilidade a longo prazo