Início > Noticias > Plataforma apresenta políticas sustentáveis para candidatos do Vale do Aço

Plataforma apresenta políticas sustentáveis para candidatos do Vale do Aço

Vinte e um candidatos a prefeito de dez municípios da área de abrangência da FIEMG Regional Vale do Aço se comprometeram com o “Programa Cooperação para Cidades Sustentáveis: proposta é uma forma de equilibrar o desenvolvimento econômico, a sustentabilidade e a justiça social

Por Diário Popular

Candidatos a prefeito durante apresentação da ferramenta de gestão para elaborar políticas públicas para a sustentabilidade  (Fotos: Rodrigo Zeferino)

Vinte e um candidatos a prefeito de dez municípios da área de abrangência da Federação das Industrias do Estado de Minas Gerais - FIEMG Regional Vale do Aço se comprometeram com o “Programa Cooperação para Cidades Sustentáveis – PCSS” na sede da entidade, na última segunda-feira (12/9), em Ipatinga.

Nessa iniciativa, a FIEMG Regional Vale do Aço mobiliza e articula com os gestores públicos para que haja um trabalho sistematizado de desenvolvimento territorial sustentável por meio de um planejamento estratégico regionalizado. Aceitando o desafio, o município passa a ser signatário do Programa Cidades Sustentáveis.

DIAGNÓSTICO

Segundo o coordenador-executivo da organização da Rede Nossa São Paulo, Maurício Broinizi, o Programa propõe o levantamento de indicadores sociais, econômicos, políticos, ambientais e culturais, para a elaboração de um diagnóstico detalhado das cidades.

“O PCS defende que a sustentabilidade é um tema transversal às diversas secretarias municipais e prevê metas de resultados para todas as áreas da administração, considerado também uma fonte de informação para planejamento, gestão e tomada de decisões, contribuindo para a capacitação de gestores públicos municipais e organizações da sociedade civil em diversas cidades brasileiras”, explica.

Broinizi acrescentou que o Programa é fundamentado nos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) por meio de 17 objetivos e 169 metas para promover a inclusão social, o desenvolvimento sustentável e a governança democrática em todo o mundo entre 2016 e 2030. “Estas metas são acompanhadas por um conjunto de indicadores para que governos, sociedade civil e empresas revejam suas ações e prioridades em favor de um novo modelo de desenvolvimento”.

ALINHAMENTO

Para o presidente da FIEMG Regional Vale do Aço, o objetivo do evento é apresentar essa ferramenta de gestão para que os futuros prefeitos atuem alinhados às prioridades dos municípios. “Trabalhar com uma agenda que tenha eixos, indicadores, metas, sugestões e apoio de casos exemplares, contribui muito na gestão e no diálogo entre os municípios”, defende Luciano Araújo.

Luciano acredita que o PCS é uma forma de equilibrar o desenvolvimento econômico, a sustentabilidade e a justiça social através de uma governança transparente e democrática. “Toda a sociedade tem acesso aos dados do seu município, basta acessar o site e acompanhar para cobrar dos governantes”.

EFICIÊNCIA

Para a candidata à reeleição a Prefeitura de Ipatinga, Cecília Ferramenta, que aderiu às propostas do Programa Cidades Sustentáveis durante o seu mandato em outubro de 2012, ele é estratégico e eficiente tanto na solução de problemas e na cobrança dos governantes, quanto para visão em longo prazo. 

“Atingimos 93% dos indicadores, inclusive Ipatinga foi o único Município de Minas Gerais que disputou a categoria “Cidades de Médio Porte” do Prêmio Cidades Sustentáveis 2014”, relata a candidata, que completa: “As ações e os programas apresentados por Ipatinga vão ao encontro da proposta do Programa Cidades Sustentáveis e reforçam o compromisso do governo municipal com uma agenda de sustentabilidade, promovendo bem estar e qualidade de vida para nossa população”.

Luciano Araújo, da Fiemg: proposta é uma forma de equilibrar o desenvolvimento econômico, a sustentabilidade e a justiça social

Agenda de Convergência

No intuito de propor uma agenda de prioridades da região, Luciano Araújo apresentou aos candidatos a Agenda de Convergência para o Desenvolvimento do Vale do Aço, criada há dois anos pela FIEMG desta regional. A agenda é formada por 39 entidades da Região Metropolitana do Vale do Aço e dividida em seis eixos de trabalho (Infraestrutura, Segurança, Saúde, Educação, Competividade e Sustentabilidade). Cada eixo possui um gestor responsável por conduzir e acompanhar o andamento dos seus respectivos projetos.

O Presidente Regional da FIEMG destacou ainda a independência de cada uma destas frentes de trabalho, porém com o mesmo objetivo. A principal ferramenta de comunicação deste projeto é a internet: agendadeconvergenciamg.org.br, onde podem ser encontrados os detalhamentos dos temas, o projeto de cada eixo e o andamento de todos os assuntos propostos.

Os levantamentos possibilitaram uma agenda com visão para 2030. Os eixos implantados nesta agenda possuem prioridades eleitas a partir de fóruns que integraram as entidades participantes e a comunidade – por exemplo: no eixo de infraestrutura, a duplicação da BR 381 e a pavimentação da MG 760 são prioridades; na segurança é prevista a implantação do sistema de vigilância ‘Olho Vivo’ e implantação de uma delegacia da Polícia Federal na região e, assim, sucessivamente.

Matéria publicada no portal do Diário Popular.