Início > Noticias > Nova plataforma digital permite acompanhar indicadores da Agenda 2030

Nova plataforma digital permite acompanhar indicadores da Agenda 2030

Da Agência IBGE Notícias 

O IBGE lançou nesta terça-feira (24), no III Encontro de Produtores de Informações Visando à Agenda 2030, a Plataforma Digital dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (Plataforma ODS). Nela está o primeiro conjunto de indicadores globais do Brasil para o acompanhamento desses objetivos, com fichas metodológicas, tabelas, gráficos e mapas. A plataforma apresenta também uma seção com notícias, entrevistas, reportagens e conteúdos audiovisuais sobre a temática, além de um calendário de eventos. 

Pelo site é possível conhecer em que etapa se encontra cada indicador, como os que já foram produzidos, os que estão em análise/construção, os que ainda não possuem dados, os que não têm metodologia global definida e ainda aqueles que não se aplicam ao Brasil. Na área restrita às instituições produtoras de informação, os profissionais que participam dos grupos de trabalho de cada ODS podem compartilhar conteúdos para avançar na discussão sobre os indicadores.

A assessora da Presidência do IBGE, Denise Kronemberger, explicou como serão as dinâmicas de trabalho desses grupos: "os membros vão dispor de um espaço de discussão, compartilhamento de arquivos, divulgação de eventos, entre outras funcionalidades que facilitarão a comunicação entre eles e a realização das atividades propostas em cada ODS". Ela ressaltou, ainda, que "a plataforma está integrada ao sistema de metadados e à Infraestrutura Nacional de Dados Espaciais (Inde), o que poderá ser um instrumento facilitador da padronização da documentação das bases de dados, estatísticas e geoespaciais".

Indicadores já começaram a ser carregados na plataforma

O ODS 9, sobre infraestrutura industrialização e inovação, por exemplo, é o que tem mais indicadores produzidos cadastrados na plataforma até o momento: cinco dos 12 existentes. Entre os demais, três estão em análise/construção, dois sem dados e dois sem metodologia global.

O coordenador do grupo de trabalho do IBGE para esse Objetivo e gerente da Pesquisa de Inovação (Pintec), Flávio Peixoto, disse que “vários desses indicadores, de alguma maneira, já tinham dados prontos, disponíveis. O que teve foi um trabalho de certos ajustes para tentar adequar os metadados à metodologia de cálculo proposta pelas Nações Unidas (ONU)”.

Uma das instituições produtoras de informação que trabalham em parceria com o IBGE é o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações. A tecnologista em Ciência e Tecnologia Marcela Aboim Raposo contoucomo está sendo essa experiência: “foi uma parceria muito rica, pois os conhecimentos se complementaram. Nós conseguimos juntar o conhecimento da parte de estatísticas nacionais do IBGE, como o PIB, com o conhecimento do Ministério para construir indicadores relacionados ao cálculo de emissões de gases de efeito estufa na indústria”.

Outro coordenador dos grupos de trabalho é Marco Andreazzi, responsável pelo ODS 3, sobre saúde e bem-estar, e gerente da Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (PeNSE). Ele disse que o desafio está em conciliar os critérios utilizados entre as organizações: “o Brasil tem tradição em indicadores de saúde, que guardam pequenas diferenças que precisam ser relacionadas com a proposta da ONU. A ideia é que, neste III Encontro, nós possamos esclarecer dúvidas quanto à adequação dos indicadores e, assim, carregá-los na plataforma”.

Repórter: Pedro Renaux
Arte: Helga Szpiz

Matéria publicada pela Agência IBGE Notícias.