Início > Noticias > Cidades Sustentáveis lança metas para 2018 no Oeste do Paraná

Cidades Sustentáveis lança metas para 2018 no Oeste do Paraná

Técnicos tiveram treinamento oferecido pelo programa em Foz do Iguaçu

Por A Gazeta Web

Representantes de 33 municípios da região estiveram participando, durante todo o dia de terça-feira (6/3), no Parque Tecnológico Itaipu, de treinamento oferecido pelo Programa Cidades Sustentáveis – fruto de um convênio entre Itaipu e Conselho de Desenvolvimento dos Municípios Lindeiros ao Lago de Itaipu. Eles fizeram a oficina Inserção dos Indicadores Básicos e Regionais do Programa Cidades Sustentáveis. Quem ministrou a oficina foi a coordenadora de Mobilização da Rede Nossa São Paulo e do Programa Cidades Sustentáveis, Zuleica Goulart e a coordenadora de indicadores do Cidades Sustentáveis, Clara Meyer Cabral.

O convênio, retomado neste ano, traz novos desafios. Entre eles está buscar a adesão dos 54 municípios da área de abrangência de Itaipu (53 municípios paranaenses e Mundo Novo, no Mato Grosso do Sul). Neste primeiro encontro, os técnicos municipais tiveram um panorama do programa e propósitos. Os gestores também aprenderam a alimentar a plataforma www.cidadessustentaveis.org.br com indicadores dos seus municípios e a utilizar ferramentas da plataforma, segundo diretora técnica do Conselho dos Lindeiros, e gestora do programa, Sandra Finkler.

Zuleica Goulart explica que o principal objetivo é instrumentalizar os gestores para um melhor planejamento e gestão, auxiliando a administração pública municipal a definir prioridades de governo, metas qualitativas e quantitativas, prazos e compromissos.

A partir de agora, o trabalho é com eles, os gestores municipais, que saíram bastante motivados do treinamento. Para a secretária da Fazenda de Iracema do Oeste, Daiane Lemos, o treinamento consolida não apenas a técnica operacional de trabalhar com a Plataforma Cidades Sustentáveis, mas também motiva os municípios a consolidarem seus indicadores para utilizá-los em prol de ações estratégicas. “É muito importante termos um mapa do nosso município, expondo todas as áreas de desenvolvimento, da saúde infantil até a mobilidade urbana, da educação ao agronegócio. Tudo serve de ferramenta para o gestor municipal direcionar suas ações”, explica Daiane.

Metas

Uma dessas ferramentas citadas por Daiane Lemos é o Mapa da Desigualdade Social, cuja construção é uma das metas do Programa. A ideia é fazer o mapa na região de maneira que sejam evidenciadas potencialidades, mas também as carências específicas na região, para que as ações sejam focadas no enfrentamento. O modelo, já aplicado em outras regiões do Brasil tem sido a referência para implantação de medidas de combate e implantação de políticas públicas.

Outro objetivo para os gestores trabalharem no Programa Cidades Sustentáveis é a elaboração do Plano de Metas dos seus municípios a partir dos indicadores existentes. “O Plano de Metas nada mais é do que um meio prático de utilizar as ferramentas em prol da comunidade”, sintetiza Zuleica.

Para por em prática tanta atividade, serão realizadas oficinas regionais com os técnicos e gestores, além de uma sensibilização dos dirigentes. Até porque, os municípios também começam a se preparar para o Concurso Regional de Boas Práticas, promovido através do Convênio Cidades Sustentáveis. As ações aplicadas na região também serão inscritas no Concurso Nacional realizado pela Rede Nossa São Paulo. Em edições anteriores, alguns municípios do Oeste já foram premiados, como é o caso de Ubiratã, Toledo e Marechal Cândido Rondon.

Indicadores

Quem dissemina o Programa Cidades Sustentáveis no Brasil é a Rede Nossa São Paulo.  O Programa oferece aos gestores públicos uma agenda completa de sustentabilidade urbana, um conjunto de indicadores associados a esta agenda e um banco de práticas com casos exemplares nacionais e internacionais como referências a serem seguidas pelos municípios. Mais que isso, auxilia os municípios na formação de seus próprios indicadores e posterior aplicação. São 12 eixos temáticos nas diversas áreas, sendo que os indicadores estão associados aos eixos da plataforma e aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). “Trabalhamos pela redução da desigualdade nas cidades, fazendo diagnósticos precisos e incentivando a implementação de políticas públicas que contribuam para o desenvolvimento sustentável”, explica Gilmar Secco, assistente da Diretoria de Coordenação da Itaipu.

Diretoria de Coordenação quer unir esforços

Atendendo orientação do próprio diretor de Coordenação de Itaipu (DC), Newton Kaminski, uma importante reunião de trabalho aconteceu na segunda-feira (05). Foram reunidos gestores da binacional e de entidades parceiras que trabalham diretamente com questões relacionadas aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Além do Programa Cidades Sustentáveis, atualmente a DC tem parceria com o PNUD – Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento e o Laboratório de Cidades Sustentáveis, com Parque Tecnológico Itaipu.

No encontro, que aconteceu na sala de reuniões da DC, os gestores apresentaram propostas e metas, debateram estratégias de trabalho e o panorama regional. A partir desse encontro, ficou acordado o cruzamento de agendas e a união de esforços para a sensibilização regional e também para implantação de medidas práticas que levem os gestores a tornarem seus municípios mais sustentáveis como um todo.

A Gazeta Web/Assessoria

Matéria publicada no portal A Gazeta Web