Início > Boas Praticas > Táxi acessível em Nova Iorque

Táxi acessível em Nova Iorque

Nova York

Continente: 
América do Norte
País: 
Estados Unidos
População (Ano): 
8.245.000 hab.
Ano População: 
2011
Tendo 11% de sua população composta por cidadãos com necessidades especiais, a cidade de Nova Iorque avança na integração social desse segmento, ao implantar um programa de transporte por táxis adaptados para cadeirantes e outros cidadãos com necessidades especiais que restrinjam a mobilidade.

Descrição:

A cidade de Nova Iorque, nos Estados Unidos, possui desde 2008 todas as suas esquinas com rampas de acessibilidade para cadeirantes e todos os ônibus urbanos com plataformas elevatórias. Agora, amplia a acessibilidade, ao implantar um novo sistema de transporte urbano voltado para a população com restrições de mobilidade. Este novo sistema é caracterizado pela incorporação inicial, aos mais de 13.400 táxis amarelos atualmente operando na cidade, de 233 novos táxis adaptados para cadeirantes e outros cidadãos com necessidades especiais que restrinjam a mobilidade.

O novo serviço é regulamentado pela Comissão para Táxis e Limusines de Nova Iorque (TLC, na sigla em inglês) e está disponível vinte e quatro horas por dia, todos os dias da semana, durante todo o ano. O sistema conta com dois tipos de veículos: minivans adaptadas, com abertura traseira ou lateral para acesso do cadeirante; e os veículos fabricados nos Estados Unidos especialmente para cadeirantes, denominados MV-1, que possuem piso rebaixado e acesso pela lateral direita, além de outras características específicas.

Uma central de atendimento monitora os veículos por meio de GPS (sistema de posicionamento por satélite) e permite ao usuário tanto a solicitação imediata de um táxi adaptado quanto o agendamento do serviço. Antes desta mudança, a disponibilidade de táxis adaptados se dava apenas por meio de agendamento.

O atendimento é feito de cinco modos: por meio de um telefone de serviço de utilidade pública de três dígitos; central telefônica; envio de mensagem de texto (SMS); página eletrônica; e aplicativo do serviço.

Quando acionada, a central localiza o veículo mais próximo do local de atendimento e solicita ao motorista que responda, aceitando ou não o chamado. O motorista tem dois minutos para responder e, caso se recuse a atender ou não responda, a chamada será direcionada automaticamente para o próximo motorista.

Contudo, o preço deste serviço é medido pelo taxímetro, sendo o mesmo cobrado dos demais passageiros que utilizam táxis comuns – incluindo o início da cobrança apenas após o embarque do passageiro. Portanto, o percurso até o local de chamada e o tempo de embarque é pago ao motorista pela central de atendimento e não pelo passageiro.

O serviço é fornecido por meio da concessão cedida à empresa privada Metro Taxi e está disponível para trajetos originado na ilha de Manhattan, com destino para qualquer um dos cinco bairros da cidade, para os condados de Westchester e Nassau e para os aeroportos de Newark, JFK e La Guardia. Tal circulação também permite ao passageiro ter acesso a uma das 117 estações de Metrô que têm acessibilidade.

Objetivos:

- Ampliar a acessibilidade da cidade para cadeirantes e outros cidadãos com necessidades especiais que restrinjam a mobilidade;

- Disponibilizar o serviço de transporte inclusivo acessível, que permite o deslocamento de cadeirantes e outros cidadãos com necessidades especiais, para todos os cidadãos e visitantes da cidade pelo mesmo preço do serviço de táxi comum;

- Até 2020, ter uma frota de táxi de 2.000 veículos adaptados e prestando o serviço.

Cronograma e Metodologia:

- 1990: governo federal edita a Lei para Americanos com Deficiência, que define normas e padrões para serviços públicos e direitos do cidadão com necessidades especiais;

- 2006: a diretoria executiva do Gabinete Municipal de Nova Iorque para Pessoas com Deficiência é elevada para o âmbito de Comissariado Municipal;

- 2008: todas as esquinas da cidade passam a ter guia rebaixada e todos os ônibus urbanos possuem plataformas elevatórias;

- 2011: a Coalizão de Connecticut para a Lei para Americanos com Deficiência (ADACC, na sigla em inglês) elege Willian Scalzi, fundador e presidente da Metro Taxi, para o seu Conselho Diretor. A escolha se deve a sua participação decisiva na implantação de táxis acessíveis em Connecticut e no desenvolvimento das atividades na empresa, atualmente concessionária do serviço em Nova Iorque;

- Em junho de 2012 é lançado o novo serviço de táxi acessível na cidade de Nova Iorque, administrado pela empresa concessionária Metro Taxi e com 233 veículos;

- Um sistema de auditoria perene é implantado para identificar taxistas que recusam serviços para cadeirantes, mesmo estando livres de passageiros;

- A partir de 2012 foi desenvolvido um programa de treinamento específico para todos os motoristas de táxis acessíveis, garantindo capacitação para assistência ao cadeirante, que inclui execução de protocolos para embarque e desembarque e conscientização sobre características dos passageiros. Os motoristas são treinados para descer do veículo e auxiliar o passageiro em seu embarque e desembarque. Frente ao trânsito e demais limitações, a central de atendimento orienta o motorista a encontrar a melhor situação de embarque e desembarque nos locais de origem e destino;

- O sistema é gerido por meio digital através de tecnologia API, que inclui aplicativo para usuário de smart phone e sistema de posicionamento (GPS), permitindo ao usuário solicitar e agendar chamadas com rapidez, comodidade e eficiência, seja pelos sistemas de interação manual ou por comando de voz;

- Código de Obras da cidade, do ano de 2014, estabelece diversas normas e padrões de acessibilidade, implementando noções de “espaços conectados” e “rotas acessíveis”. O Código também obriga a proporcionalidade de espaços de estacionamento entre vagas usuais e acessíveis, além de outras padronizações urbanísticas;

- 2014: nova norma da cidade cria o Fundo Municipal de Melhoria de Taxis e estabelece que os concessionários individuais de Táxi Amarelo, que ingressaram em 2015 e em anos posteriores, deverão adotar veículos acessíveis ao renovar seu veículo;

- 2016: é lançado o Relatório Anual de Pessoas com Deficiência Morando em Nova Iorque, editado pela prefeitura e envolvendo diversas agências de serviços municipais;

- 2016: início da aplicação das leis aprovadas em 2014, que estabelecem a meta de 2.000 veículos adaptados até 2020.

Resultados:

- Serviço de táxi acessível e disponível vinte e quatro horas por dia, durante todo o ano, que é oferecido inicialmente por 233 veículos. Em 2014, atinge pouco mais de 600 veículos e, em 2016, são 906 veículos acessíveis;

- Cada corrida feita por táxis não acessíveis recolhe US$ 0,3 de “sobretaxa de melhoria”, para ser aplicado por meio do Fundo de Melhoria de Taxis como incentivo financeiro aos taxistas com veículos acessíveis. Estes recebem do fundo US$ 0,5 por corrida realizada. O mesmo fundo oferece aos detentores da concessão de táxi o valor de US$ 30.000, ao longo de quatro anos, para auxílio na compra e operação de veículos acessíveis (valores de 2016);

- No primeiro ano de funcionamento, mais de 50.000 chamadas foram atendidas;

- Os usuários não mais precisam realizar agendamento para ter acesso ao serviço;

- Não há nenhum custo extra para os usuários. O preço do trajeto percorrido é definido pelo taxímetro, que será ligado somente após o embarque do passageiro; 

- O serviço inclui os novos veículos MV-1, fabricados especialmente para cadeirantes e que, tal como o treinamento oferecido aos motoristas, seguem as novas especificações da Lei de Americanos com Deficiência, de 1990;

- Reuniões trimestrais envolvendo os consumidores do serviço são realizadas para avaliar a sua qualidade;

- Reuniões trimestrais envolvendo os motoristas de táxis acessíveis são realizadas para avaliar o serviço prestado;

- Animais que desenvolvem a função de guias, como cães, também podem embarcar no táxi acessível;

- Integração do transporte individual com o Metro para cadeirantes e demais cidadãos com restrições de mobilidade.

Instituições Envolvidas:

Prefeitura de Nova Iorque 

Empresa Metro Taxi, detentora da licença municipal para este serviço de Táxi Amarelo Acessível 


Contatos:

Contato com o serviço: [email protected] 

Telefone de serviços municipais da cidade: 311


Fontes:

 

Página do serviço de táxi acessível 

Informações da Prefeitura sobre acessibilidade na cidade 

Base de dados de viagens de taxi em Nova Iorque 

Página da Comissão para Táxis e Limusines 

Relatório de 2014 sobre Taxis em Nova Iorque 

Relatórios anuais da Comissão para Limusines e Táxis 

Guia de acessibilidade da cidade de Nova Iorque 

Relatório Municipal de Acessibilidade de Nova Iorque 2016, com dados sobre cidadãos 

Notícia de 2013 sobre uso de cadeira de rodas em Nova Iorque 

Estações com acessibilidade em Nova Iorque 

Nota sobre a nomeação de Willian Scalzi para o conselho da Coalizão de Connecticut  

Notícias na imprensa local:

http://nypost.com/2014/06/30/50000-use-new-app-to-order-handicapped-acce...

http://nypost.com/2013/12/06/half-of-nyc-taxis-to-be-wheelchair-accessib...

 

38
última modificação: qui, 16/03/2017 - 17:37