Início > Boas Praticas > Redução de velocidade no distrito londrino de Tower Hamlets

Redução de velocidade no distrito londrino de Tower Hamlets

Londres

Continente: 
Europa
País: 
Inglaterra
População (Ano): 
8.278.251 hab.
Área Total (Ano): 
1.579,00 km²
Limitação da velocidade máxima em 20 milhas (cerca de 32 km) por hora representou benefícios diretamente relacionados à saúde e acessibilidade da população. O novo limite diminuiu o número de mortes e feridos graves em acidentes de trânsito e permitiu uma circulação urbana mais segura, calma e democrática.

Descrição:

Nas últimas décadas, o debate sobre acidentes de trânsito e sistemas de transporte no Reino Unido levou diversos grupos de gestores e pesquisadores a entenderem que limitar a velocidade de veículos em regiões urbanas, especialmente em áreas de comércio e moradia, resulta em diversos ganhos. 

Um dos exemplos desta constatação é o caso do distrito londrino de Tower Hamlets, onde a redução da velocidade máxima para 20 milhas (cerca de 32 km) por hora representou benefícios diretamente relacionados à saúde e acessibilidade da população. O novo limite diminuiu o número de mortes e feridos graves em acidentes de trânsito e permitiu uma circulação urbana mais segura, calma e democrática. 

Tower Hamlets, que fica na região central de Londres, reduziu a velocidade máxima em suas vias, de 30 milhas (aproximadamente 48 km) para 20 milhas (cerca de 32 km) por hora. Inicialmente, a medida foi adotada em caráter experimental, entre os meses de abril de 2015 a outubro de 2016. 

Uma pesquisa independente sobre os primeiros nove meses de vigência do novo limite de velocidade (de abril a dezembro de 2015) revelou que houve queda de aproximadamente 20% no número de acidentes fatais e de 22% nos acidentes graves. As colisões em cruzamentos tiveram redução de 13% no período.
Além da queda no número de mortes e lesões graves, o novo padrão de velocidade máxima estimula a adoção de outros meios de transporte mais saudáveis e sustentáveis, como caminhar e usar bicicleta.

Após o período experimental, o limite máximo de 20 milhas (32 km) foi adotado como padrão para quase todas as vias (85%) do distrito de Tower Hamlets no dia 13 de outubro de 2016. As vias que ainda mantêm 30 milhas (48 km) são aquelas destinadas ao deslocamento intrametropolitano, ou seja, que ligam Londres às cidades vizinhas. Contudo, mesmo nestas avenidas, a regra de 20 milhas (32 km) prevalece nos trechos onde predomina o comércio. 

Todos os debates realizados para adoção da medida foram desenvolvidos por administradores públicos locais e o Conselho Gestor Distrital – que inclui a participação da sociedade civil. 

Segundo integrantes do movimento britânico 20’s Plenty for Us – uma coalizão de organizações da sociedade civil que lutam pelo estabelecimento da velocidade máxima urbana em 20 milhas por hora (medida de velocidade britânica que deu nome ao movimento) –, a mudança também traz ganhos ambientais e para a qualidade de vida da população local.

Sobre o 20’s Plenty for Us

O movimento 20’s Plenty for Us surgiu no Reino Unido em 2007, por iniciativa do engenheiro mecânico Rod King, que atualmente é diretor da campanha pela adoção da medida nas cidades britânicas.  

Posteriormente, o 20’s Plenty for Us se espalhou por outras nações, como: Alemanha, Áustria, Bélgica, Canadá, Espanha, Estados Unidos, Finlândia, França, Holanda, Itália, Irlanda, Luxemburgo, Noruega, Suécia e Suíça. 

Atualmente há 350 localidades em diversos países com núcleos ativos da campanha 20’s Plenty for Us. 

Geralmente, as campanhas locais do movimento levam o nome da cidade em seu título, tal como: 20’s Plenty for Bristol e 20’s Plenty for Aylesbury (dois municípios da Inglaterra).

Desde sua fundação o movimento já desenvolveu, por meio da atuação de voluntários, 250 campanhas de sensibilização e mobilização da sociedade civil e poder público em todo o Reino Unido. Atualmente mais de 250 grupos locais fazem parte do movimento e 55 cidades do Reino Unido, de diversos portes, já aderiram ao padrão de 20 milhas (32 km) por hora como velocidade máxima e outras dez assumiram o compromisso de adotar o mesmo limite.

A soma da população das 55 cidades que iniciaram a implantação da medida é de cerca de 13,5 milhões de pessoas. Ou seja, pouco mais de 20% da população britânica está vivendo sob estas novas condições de trânsito.

Os exemplos mostram que a redução do limite de velocidade nas áreas urbanas, em diversos países, representa uma medida de baixo custo para democratizar o acesso e o uso de vias e espaços públicos, pois facilita a circulação pela cidade de idosos, crianças, portadores de mobilidade reduzida, ciclistas e pedestres.

Objetivos:

- Melhorar a qualidade de vida urbana através da redução da velocidade;

- Reduzir número de mortes e de vítimas graves em acidentes de transito;

- Criar um ambiente urbano, onde a circulação nas vias públicas seja mais segura e acessível a todas as pessoas. 

Cronograma e Metodologia:

- Em 2006, a legislação inglesa sofreu uma alteração crucial quando o Departamento de Transportes revisou a lei sobre o tema e passou a adotar um novo referencial de medida para o estabelecimento de velocidade máxima em vias públicas locais. Com a mudança, o Departamento de Transportes passou a sugerir aos conselhos locais que, ao invés de manterem como referência a velocidade predominante de 85% dos veículos em deslocamento, passassem a utilizar a velocidade média de todos os deslocamentos;

- Em 2013, outra mudança legislativa fortaleceu o movimento pela redução de velocidade: a responsabilidade administrativa pelos serviços públicos de saúde foi descentralizada, passando a ser atribuição dos gestores locais. Estes são mais sensíveis para compreender que a diminuição da velocidade máxima é uma ação de grande impacto na saúde pública;

- Entre os meses de abril de 2015 a outubro de 2016, o distrito de Tower Hamlets reduziu a velocidade máxima em suas vias, de 30 milhas (aproximadamente 48 km) para 20 milhas (cerca de 32 km) por hora. Inicialmente, a medida foi adotada em caráter experimental;

- Após o período experimental, o limite máximo de 20 milhas (32 km) foi adotado como padrão para quase todas as vias (85%) do distrito de Tower Hamlets no dia 13 de outubro de 2016.

Resultados:

- Uma pesquisa independente sobre os primeiros nove meses de vigência do novo limite de velocidade (de abril a dezembro de 2015) revelou que houve queda de aproximadamente 20% no número de acidentes fatais e de 22% nos acidentes graves. As colisões em cruzamentos tiveram redução de 13% no período;

- Por outro lado, o número de vítimas com ferimentos leves aumentou em 24 %, o que indica que os acidentes ocorridos a 20 milhas (32 km) por hora são menos graves do que aqueles ocorridos a 30 milhas (48 km) por hora;

- A redução de velocidade tornou o distrito mais acessível e seguro para os usuários mais vulneráveis das vias públicas, tais como crianças, idosos, ciclistas, pedestres e pessoas com mobilidade reduzida.

Instituições envolvidas:

20’s Plenty for Us

Administração pública do distrito de Tower Hamlets, Londres – Inglaterra

Diversas autoridades locais (municipal e distrital)

Universidade de Durham (Inglaterra)

Contatos:

Conselho gestor do distrito londrino de Tower Hamlets: [email protected]

Lista de localidades do mundo com núcleos do movimento 20’s Planty for Us: http://www.20splenty.org/20mph_places

Departamento de Geografia da Universidade de Durhan (Inglaterra): [email protected]

Fontes:

1.    Limitação para 20 mph no distrito de Tower Hamlets, Londres: http://www.towerhamlets.gov.uk/News_events/News/September_2016/Permanent...

2.    Distrito de Tower Hamlets - argumentação sobre acidentes e lesões relacionadas à velocidade de transito: http://www.towerhamlets.gov.uk/lgnl/transport_and_streets/road_safety/sp...

3.    Movimento 20’s Plenty for Us para países com km/h: http://www.20splenty.org/30kmh

4.    Entrevista com Rod King (criador e diretor do movimento 20’s Planty for us): http://www.20splentyforus.org.uk/Briefings/LTT_RodKing.pdf (http://www.20splenty.org/ltt)

5.    Jornal de saúde pública (Britânico) com artigo sobre estudo sistemático da Universidade de Durhan acerca do impacto na saúde pela redução da velocidade: http://m.jpubhealth.oxfordjournals.org/content/early/2014/09/28/pubmed.f...

38
última modificação: ter, 10/01/2017 - 16:37