Início > Boas Praticas > Programa Castellense de Coleta Seletiva do Lixo

Programa Castellense de Coleta Seletiva do Lixo

Presidente Castello Branco

Continente: 
América do Sul
País: 
Brasil
Estado - Província: 
SC
População (Ano): 
2.010 hab.
Ano População: 
1724
O Município de Presidente Castello Branco, em Santa Catarina, adotou um modelo intersetorial de gestão dos resíduos.As ações são desenvolvidas de forma sincronizada e sustentável por todos os setores da prefeitura. As escolas foram o ponto de partida de um novo olhar para o lixo. As crianças se tornaram multiplicadoras das boas práticas, que passaram a ser vivenciadas e incorporadas pela comunidade.

Descrição:

A cidade de Presidente Castello Branco adotou um modelo intersetorial de gestão de resíduos que envolve os diversos órgãos do governo municipal e toda a população. As atividades são desenvolvidas de forma sincronizada por todos os envolvidos. O modelo está alicerçado nos pilares do planejamento, organização, execução e avaliação de ações de curto, médio e longo prazos.

Até a década de noventa, todos os resíduos eram descartados de maneira irregular, a céu aberto, em rios e até mesmo queimados. A preocupação com o problema levou a administração municipal a adquirir, no ano 2000, um terreno de 20.000 m², com o objetivo de implantar o Aterro Sanitário Municipal.

Durante o processo de construção do aterro, foi contratada uma empresa para a coleta do lixo produzido na cidade e arredores. A partir daí, foram realizadas diversas reuniões nas comunidades, com ampla participação da população. O intuito era consolidar o processo de destinação adequada do lixo.

Em 2006, o Aterro Sanitário Municipal foi instalado e o ciclo de reuniões com a população reiniciado, agora com o propósito de implantar o Programa Intersetorial Castellense de Coleta Seletiva de Lixo, por meio do Plano Intersetorial de Desenvolvimento Sustentável.

O Plano Intersetorial de Desenvolvimento Sustentável envolve os diversos departamentos municipais, bem como a população, e conta com forte atuação do Conselho Municipal do Meio Ambiente. 

Desde então, a reciclagem foi implantada na cidade. Foram também criadas valas de compostagem, para a destinação dos resíduos orgânicos, que se transformam em adubo orgânico utilizado na produção de mudas e hortaliças.

Diversos programas foram instituídos no município. Alguns com foco nas escolas, para que as crianças se tornem multiplicadoras. Entre estes programas destacam-se:

1) Natal de bem com a natureza: realiza oficinas com a população, comerciantes e funcionários públicos, para a confecção de decoração natalina a partir de materiais recicláveis, que irão enfeitar toda a cidade;

2) Programa valorizando e construindo saberes: confecção de jogos e brinquedos nas escolas municipais, envolvendo a família no processo que é realizado a partir de materiais alternativos;

3) Oficinas de reaproveitamento de tecido: as roupas não utilizadas são encaminhadas diariamente à área social e, através de oficinas, são reaproveitadas;

4) Biocompostores: implantados em escolas, residências, aterro sanitário e em órgãos públicos, dão destino ao material orgânico. O composto produzido é utilizado na produção de mudas e hortaliças;

5) Projeto Biodegradáveis: reutiliza o óleo de cozinha para a produção de materiais de limpeza e higiene;

6) Implantação de cisternas para captação de água de chuva e de biodigestores para tratamento do esgoto ecológico: Em diversos locais do setor público e nas escolas;

7) Projeto Lavoura Familiar: Valorizando a Alimentação Saudável.

8) Projeto Horta Permacultural: tem como finalidade sensibilizar a comunidade escolar para o cultivo de legumes e manejo de uma horta;

Além desses projetos, pilhas e baterias são depositadas em locais específicos e encaminhadas para descarte adequado.

As empresas são responsáveis por recolherem as embalagens de agrotóxicos.

O lixo destinado ao aterro é coletado no centro e no interior do município. Lá (no aterro) acontece a triagem do material. O reciclável é vendido e com o lucro são adquiridos, materiais escolares, uniformes e climatizadores.

Objetivos:

- Destinação correta dos resíduos e preservação do meio ambiente;
 
- Desenvolver ações para orientar a população sobre a correta separação dos materiais recicláveis, rejeitos e orgânicos;

Cronograma e Metodologia:

- No ano 2000, aquisição de terreno de 20.000m² com o intuito de implantar o Aterro Sanitário;

- Durante o processo de construção do aterro, buscou-se como alternativa a terceirização da coleta, que ocorria somente na cidade;

- Com a implantação do Aterro, no ano de 2006, surgiu a necessidade de promover ações de conscientização e sensibilização continuada com a comunidade. Nasce então, em 2007, o Programa Castellense de Coleta Seletiva de Lixo;

Resultados:

- Atualmente a coleta seletiva atinge toda a população Castellense, até mesmo na área rural, beneficiando 1.725 habitantes;

- Mudança de habito da população;

- Maiores cuidados e preservação do meio ambiente;

- Redução significativa na quantidade de resíduos;

- Implantação do Viveiro Municipal (2009/2010) “Valorização do Material Orgânico”: produção de mudas de hortaliças, para escolas e famílias dos educandos; de ervas medicinais, para projetos escolares; e de mudas de flores, para  embelezamento em órgão públicos;

- Trabalho contínuo de educação ambiental com as escolas no Aterro Sanitário;

- 2013: ampliação do trabalho de orientação na segregação do lixo doméstico e sobre resíduos perigosos, nas escolas e nos estabelecimentos comerciais;

- 2014: a cidade foi premiada no 5º Prêmio Melhores Práticas A3P, realizado pelo Ministério do Meio Ambiente, na Categoria Gestão de Resíduos – Destaque da Rede;

Instituição envolvida:

Prefeitura Municipal de Presidente Castello Branco

Fontes:

Vídeo

Prefeitura

Ministério do meio Ambiente

Rádio Rural

37
última modificação: sex, 26/06/2015 - 17:24

Comentários