Início > Boas Praticas > Cidades da Baixada Santista desenvolvem programa para formar lideranças e estimular ações comunitárias

Cidades da Baixada Santista desenvolvem programa para formar lideranças e estimular ações comunitárias

Santos

Continente: 
América do Sul
País: 
Brasil
Estado - Província: 
SP
Programa Guerreiros Sem Armas, com apoio do projeto Desenvolvimento Integrado e Sustentável do Território, mobilizou comunidades nos municípios de Santos, Guarujá e Itanhaém. Mais de 5.000 pessoas participaram das atividades que incluíram hortas comunitárias, oficinas, saraus, grupos de cinema e mutirões de pintura e limpeza de áreas comuns.

Descrição:

Em 2014, as cidades de Santos, Guarujá e Itanhaém – na Baixada Santista – receberam a nona edição do programa Guerreiros Sem Armas - Desenvolvimento Integrado e Sustentável do Território. A iniciativa visava formar lideranças e mobilizar, apoiar e acompanhar o desenvolvimento de ações, projetos e empreendimentos comunitários. 

O programa foi desenvolvido em quatro comunidades: Caminho da União e Vila Progresso, em Santos; Prainha, no Guarujá; e Guapurá, em Itanhaém.

Jovens e moradores destas comunidades foram capacitados e envolvidos em diversas iniciativas locais, que resultaram na formação de grupos de cultura, sarau, empreendedorismo.

Durante 18 meses, o programa desenvolveu, por meio do Comunidades Empreendedoras, 253 ações, que envolveram cerca de 5.000 participantes. 

Entre as ações desenvolvidas estão horta comunitária, restauração e pintura de áreas comuns, reuniões, oficinas e mutirões de manutenção e limpeza.

A nona edição do programa Guerreiros Sem Armas, com apoio do projeto Desenvolvimento Integrado e Sustentável do Território, foi resultado de uma parceria das prefeituras municipais de Santos, Guarujá e Itanhaém com o Instituto Elos – Organização Não Governamental responsável pela iniciativa. 

O programa contou com o apoio financeiro, de 1,5 milhões de reais, do Fundo Socioambiental da Caixa Econômica Federal.

Sobre o programa Guerreiros Sem Armas

Trata-se de uma iniciativa do Instituto Elos que está presente em 43 países, onde mantém 461 grupos que atuam em 1.508 localidades. Seu objetivo é capacitar e mobilizar agentes locais que contribuam para o fortalecimento e a integração comunitária, bem como para a sua transformação social.

Nas cidades da Baixada Santista, o programa contou com o apoio financeiro Fundo Socioambiental da Caixa Econômica Federal. O fundo é parte do projeto habitacional Minha Casa, Minha Vida (MCMV), do Governo Federal, e apoia iniciativas no âmbito de um programa chamado Desenvolvimento Integrado e Sustentável do Território – DIST. 


Objetivos:

- O programa Guerreiros Sem Armas (GSA) visa formar lideranças comunitárias e mobilizar, apoiar e acompanhar comunidades no desenvolvimento de ações, projetos e empreendimentos comunitários. Tem como referencia central a construção de uma visão de futuro norteadora do desenvolvimento integrado e sustentável dos territórios locais.
 

Cronograma e Metodologia:

- O custo total de cada jovem atuante no programa é de R$ 13.200,00, pelo período de 18 meses de preparação e desenvolvimento das atividades e acompanhamento da comunidade local. Os recursos são originários de apoios, patrocínios e parcerias com organizações, como a Caixa Econômica Federal no caso da edição brasileira de 2014, e de doações de pessoas físicas;

- Em outubro de 2013, a Caixa Econômica Federal libera o recurso e o Instituto Elos inicia a preparação do programa Guerreiros Sem Armas na baixada santista:
•    Inscrições são abertas para a participação dos interessados;
•    746 jovens são inscritos no processo seletivo;
•    É feita a mobilização das secretarias municipais das três cidades envolvidas;

- Em 2014, o programa atuou em quatro comunidades parceiras na baixada santista: Caminho da União e Vila Progresso, em Santos; Prainha, no Guarujá; e Guapurá, em Itanhaém;

- Do total de inscritos, são selecionados 58 jovens para participar do programa a partir de 2014;

- Vivência de 30 dias para desenvolvimento de habilidades individuais e coletivas; 

- Desenvolvimento de intervenções no território das comunidades;

- Após o período de vivência e intervenções, os jovens participantes (chamados de guerreiros sem armas) são acompanhados por seis meses, nos quais recebem apoio para a manutenção de suas atividades e projetos. Nessa fase, os jovens participam de encontros virtuais (online) e fóruns, recebem roteiros de estudo e ação. E, por fim, elaboram projetos sociais colaborativos.

Resultados:

•    58 jovens foram capacitados para atuar nas quatro comunidades diretamente envolvidas no programa;

•    Todo o material pedagógico foi produzido pelo próprio programa Guerreiros Sem Armas - GSA 2014;

•    Realização de dois eventos abertos ao público em geral no SESC (Serviço Social do Comércio) e no Centro de Atividades Integradas de Santos, com a presença de 100 convidados externos;

•    Campanha junto à imprensa local para comunicação e divulgação das ações realizadas para sensibilizar e mobilizar a sociedade civil;

•    Capacitação, de 26 jovens das quatro comunidades e outros 40 jovens do projeto, na área de Comunicação Colaborativa Comunitária. Além da capacitação tais habilidades foram aplicadas no programa de modo a criar a autonomia na cobertura e documentação das atividades realizadas;

•    O GSA se consolida nas comunidades ao formar grupos locais de comunidades empreendedoras tal como o movimento cultural Roda VP, na Vila Progresso, em Santos;

•    Criação de diversos eventos incorporados pelas comunidades: Sarau do Gueto, exibições mensais de filmes para crianças do grupo Guerreiros do Progresso, entre outras;

•    Criação do Iº Festival Comunidades Empreendedoras, com oito projetos selecionados;

•    O programa desenvolveu um total de 253 ações, com 5.005 participantes;

•    Entre as ações desenvolvidas estão: implantação da horta comunitária na localidade Caminho da União; ações de intervenção na identidade visual dos condomínios do MCMV na localidade Guapurá, com aplicação de pinturas nas áreas comuns; reuniões comunitárias, oficinas, mutirões e festas comunitárias.

•    Envolvimento de 140 participantes em quatro visitas de inspiração às comunidades, resultando em 20 mutirões comunitários de manutenção dos espaços;

•    Envolvimento de 91 membros das comunidades em quatro vivências de formação sob os fundamentos do Instituto Elos;

•    Impressão e distribuição de mais de 1.500 exemplares da publicação comunitária Alô Alô.

Instituições envolvidas:

Caixa Econômica Federal
Instituto Elos
Prefeitura Municipal de Guarujá
Prefeitura Municipal de Itanhaém
Prefeitura Municipal de Santos

Contatos:

Instituto Elos
E-mail da instituição: elos@institutoelos.org    
E-mail do programa: gsa@institutoelos.org

Fontes:

Facebook do projeto  

Seção do site do instituto Elos contendo informações do Programa 

Seção do site Elo contendo descrição do programa GSA 2014 

Informações sobre o programa DIST do governo Federal, em 2014 

Notícia na imprensa online 

 

14
última modificação: ter, 14/02/2017 - 15:35