Início > Boas Praticas > Ações Sustentáveis em Columbus

Ações Sustentáveis em Columbus

Columbus

Continente: 
América do Norte
País: 
Estados Unidos
População (Ano): 
787.033 hab.
Ano População: 
2010
O município de Columbus, nos Estados Unidos, foi reconhecido nacionalmente por seus esforços em se tornar uma cidade ambientalmente mais amigável e equilibrada. As ações desenvolvidas na cidade visam: utilização de energias renováveis; redução e reciclagem de resíduos; construções sustentáveis; proteção e conservação de recursos naturais; e estímulo para uma mobilidade mais sustentável.

Descrição:

O governo da cidade de Columbus reconheceu a importância de um ambiente saudável e equilibrado para melhorar a qualidade de vida dos moradores. Nessa lógica, criou a iniciativa "Get Green Columbus".

Quem coordena todas as ações dentro do programa é o Escritório de Gestão Ambiental, ligado diretamente ao gabinete do prefeito. Para auxiliar no desenvolvimento das ações propostas, existe um grupo consultivo composto por moradores, empresas e especialistas em meio ambiente, conhecidos como Equipe Verde do prefeito, além de grupos de trabalho específicos.

As principais iniciativas do programa são: construção verde; redução, reutilização e reciclagem dos resíduos; implantação e utilização de energias renováveis; proteção e recuperação dos recursos naturais; e mobilidade sustentável.

Em relação às construções verdes, a proposta é reduzir significativamente o impacto que os edifícios têm sobre o meio ambiente. Em Columbus, ações, como recuperação de áreas abandonadas e contaminadas ou instalações industriais subutilizadas, são identificadas para serem recuperadas e destinadas a funções de lazer, ambientais ou uso social. Existe um fundo destinado a auxiliar a execução desses projetos de recuperação.

O Fundo Columbus Verde é um programa de concessão, que utiliza incentivos financeiros para encorajar o desenvolvimento sustentável e o reordenamento territorial da cidade. Empresas privadas e organizações sem fins lucrativos podem se candidatar para receber o incentivo destinado aos projetos de reconversão de zonas industriais ou para a construção de edifícios verdes.

Em 2005, a cidade estudou suas emissões de gases de efeito estufa. A partir desses dados, medidas foram tomadas para a redução desse tipo de poluição. A meta é reduzir as emissões em 2% a cada ano, até 2030.

Entre as medidas, destacam-se a substituição da iluminação ineficiente por lâmpadas mais ecológicas e a economia no uso de energia dos sistemas de climatização de edifícios.

Para monitorar a quantidade de emissões, a cidade passou a utilizar um provedor de serviço denominado Energy Star Portfolio Manager. Esta ferramenta proporciona uma gestão interativa e permite uma avaliação comparativa, que reúne dados relativos às emissões e ao consumo energético de cada um dos edifícios da cidade.

Serviços para alcançar uma eficiência energética nas residências são oferecidos gratuitamente à população com menor renda. Os serviços incluem auditorias de energia e, se necessário, isolamento, vedação de ar, reparo ou substituição de aparelhos e iluminação. Também são oferecidos descontos, incentivos e soluções para ajudar a população a economizar energia por meio de programas de eficiência.

O Programa ME3 representa as palavras: Materiais, Energia, Meio Ambiente e Economia. Essa iniciativa oferece uma série de auditorias e realiza a facilitação em uma rede de empresas que convertem resíduos em subprodutos ou matérias-primas.

Em relação à redução, reutilização e reciclagem de materiais, foi desenvolvida uma série de programas para auxiliar a comunidade na diminuição do consumo e a evitar o encaminhamento dos resíduos para os aterros sanitários. Além de ajudar a proteger os recursos naturais, os programas reduzem os recursos gastos na manutenção e criação de aterros. Dessa forma, foi possível ampliar os valores destinados à manutenção da cidade, implantações de parques e outros serviços públicos.

Entre os programas para a diminuição de resíduos implantados pelo governo destacam-se:

- Restaurante & Bar Reciclagem: 40 bares e restaurantes já participam do projeto piloto de reciclagem. Os participantes são supridos com os recipientes de reciclagem e de captação seletiva três vezes por semana, sem nenhum custo.  A expectativa é que, em sua capacidade máxima, o programa colete e recicle 1.500 toneladas de materiais. 

- COM-TIL: Programa de produção de composto orgânico. O produto é feito a partir de biorresíduos sólidos da cidade, do material proveniente do processo de tratamento das estações de águas residuais e dos resíduos de jardim das residências. Esse programa aceita resíduos de jardins e já passa em 227.000 residências, recolhendo o material.

- Os materiais de construção também recebem uma atenção especial. O governo da cidade se esforça para garantir a recuperação e a reutilização dos materiais de demolição. Alguns exemplos desse reaproveitamento são: o projeto de recapeamento das ruas, a utilização de concreto triturado nas trilhas dos parques, utilização de blocos de arenito para construção de pontes ou muros. O código da cidade exige que, pelo menos, 25% dos restos das demolições sejam reciclados.

- O Projeto Mantenha Columbus Bonita fornece materiais gratuitamente para os residentes. Desse modo, os moradores passam a contribuir com os cuidados da cidade em seus respectivos bairros.

- Um portal online foi criado e disponibilizado para que os munícipes façam denúncias sobre descarte irregular de lixo, que vão desde resto de cigarro até crimes ambientais de maior proporção. Para inserir a denuncia no relatório, é importante relatar o local, a hora e placa do veículo. 

O órgão responsável pela analise, o The Environmental Crimes Task Force, também investiga por meio de câmeras de vídeo. Os poluidores flagrados são obrigados a prestar serviços comunitários, como remoção de lixo das estradas, das hidrovias ou dos espaços de lazer.

Em relação às energias renováveis, diversos programas foram implantados com a finalidade de poupar os recursos naturais, diminuir a poluição, contribuir para a contenção das mudanças climáticas. Entre os programas destacam-se:

- Utilização de biogás proveniente da decomposição dos resíduos utilizado para geração de energia;

- Instalação de painéis solares em escolas, inclusive com dispositivos de monitoramento para demonstrar a geração de energia solar para os alunos, em parques e também substituição dos parquímetros por equipamentos novos que são operados com energia solar;

Em Columbus passam diversos rios, existe uma fauna diversificada, zonas úmidas e florestas. Por tanto, o governo empenha muitos esforços para a manutenção dessas zonas naturais. As seguintes iniciativas são exemplos de como a cidade protege e preserva os recursos naturais:

- Nas vinte áreas de preservação ambiental ou nos diversos parques, os animais podem encontrar refúgio. O controle das plantas invasoras é feito periodicamente, por funcionários e voluntários, para que a flora nativa seja mantida saudável. Os gramados tradicionais estão sendo substituídos por relvados naturais, o governo oferece incentivos aos grupos que pretendam estabelecer hortas comunitárias na cidade. Existem jardins adicionais em toda a comunidade, em escolas, igrejas, lotes privados e centros de recreação;

- Foi elaborado um plano de gestão integrada, com base nas bacias hidrográficas, para preservação dos recursos hídricos. O governo da cidade trabalha juntamente com mais nove municípios vizinhos para orientar o desenvolvimento e a preservação do principal rio que corta a cidade, o Big Darby Creek. Todos os seus afluentes também estão inclusos nos planos de ação para as bacias hidrográficas. Entre as ações em implantação destacam-se a sinalização com os nomes dos rios e nos limites das bacias hidrográficas para ajudar a chamar a atenção para os recursos naturais e a remoção de barragens para que córregos e rios retornem ao seu estado natural;

- No município ainda existem diversos programas para captação e utilização de águas pluviais, implantação de telhados verdes e infraestrutura verde, atividades de educação ambiental e para a implantação de jardins em torno dos reservatórios de água da cidade;

O governo também está investindo em políticas para uma mobilidade mais sustentável. Com isso, muitos munícipes já estão percebendo os benefícios resultantes da substituição das viagens de carro por ônibus, bicicleta ou mesmo a pé.

A partir de um Plano de Transporte, foram estabelecidas metas para a redução dos impactos diários que os veículos causam no meio ambiente. A gestão estratégica para melhor mobilidade na cidade apresenta as seguintes iniciativas em curso:
- Desde 2013 o serviço de compartilhamento de bicicletas começou a operar com uma rede de trezentas bicicletas e trinta estações;

- O serviço de transporte público foi aprimorado e levou em conta os diversos critérios da sustentabilidade. Todos os ônibus estão equipados com bicicletário que suporta, com segurança, duas bicicletas por rack. Desde 2013, a frota de ônibus da cidade está sendo incrementada em termos de combustíveis alternativos e, em 2015, contava com 116 veículos movidos a gás natural comprimido, 16 veículos híbridos, 10 veículos elétricos e 834 veículos flex;

- Os ônibus da cidade contemplam a prestação de serviços para as pessoas com deficiência. Todos com elevadores e podem acomodar cadeiras de rodas ou outros dispositivos de mobilidade;

- O governo também está investindo para que ocorra a ampliação na quantidade de veículos elétricos por toda a cidade. Para isso, estão sendo executadas políticas em parceria com o Rocky Mountain Institute por meio do Projeto Get Ready;

- Com subsídio do Departamento de Energia obtido através de parceria no projeto Combustíveis Limpos Ohio, foi possível instalar estações de carregamento de veículos elétricos para serem utilizadas por todos;

- Políticas para facilitar os serviços de compartilhamento de veículos também foram implantadas. O compartilhamento é voltado para veículos menos poluentes, em geral elétricos. Segundo estudos, a utilização de um veículo compartilhado reduz a necessidade de quatro a dez veículos individuais;

Em suma, todos estes esforços são o resultado de uma abordagem estratégica para a redução dos impactos ambientais provenientes da urbanização. A cidade ganhou inúmeros prêmios em decorrência de sua política integrada para a sustentabilidade.

Objetivos:

- Identificar os maiores problemas causadores de danos ambientais e implementar projetos para reduzir o impacto que a urbanização causa ao meio ambiente.

Cronograma e Metodologia:

- A iniciativa "Get Green Columbus" lançada em 2005 é, em parte, financiada por uma bolsa da Autoridade de Resíduos Sólidos da Central Ohio (SWACO);

- O Escritório de Gestão Ambiental, ligado ao gabinete da prefeitura, administra a iniciativa com foco nas operações internas da cidade e efetiva parcerias externas com as partes interessadas e com toda a comunidade;

- Desde 2005, o Escritório de Gestão ambiental lança relatórios de progresso que resumem os esforços ambientais empreendidos na cidade. Também, muitos outros documentos são elaborados para orientar a cidade no que tange a administração ambiental;

- O Plano COLUMBUS COMUNIDADE VERDE (2015-2020), conhecido como Memo Verde III, é um plano de cinco anos desenvolvido por meio de um processo de participação pública intenso. Esse documento serve como uma diretiva para o envolvimento ativo nas iniciativas propostas. Antes da elaboração desse plano, foram elaborados o Memo Verde II (2010-2015) e o Memo Verde original, lançado em 2005 que é à base da iniciativa Get Green e desenha as metas ambientais da cidade, baseadas em um conjunto de princípios verdes; 

- Outros documentos direcionados ao meio ambiente relevantes para a cidade são: 

* Declaração da Política Ambiental;

* Pacto Verde de Ohio Central que une autoridades locais em um compromisso regional para o desenvolvimento sustentável;

* Ordens executivas que estabelecem diretrizes para assuntos como proteção de árvores e mitigação, política de uso de papel, gestão de frotas, entre outros;

*Plano de Ação para Frota Verde, desenvolvido em 2008 e atualizado anualmente;

* Plano de Ciclovias, define as prioridades para o transporte, lazer e qualidade de vida na cidade. O plano prevê iniciativas como ruas completas com ciclovias e pistas, estacionamento de bicicletas e muito mais;

* Manual Universal de Projeto Verde Consciente, determina um padrão para a construção e renovação de projetos residenciais, que podem ser financiados pelo governo, para proporcionar habitação mais acessível e ambientalmente amigável;

* Plano de Ação e Alerta Aéreo, além de conter instrumentos que alertam a respeito dos picos de poluição, propõe ações operacionais específicas para minimizar as emissões de gases de efeito estufa e materiais particulados. O plano ainda alerta a sociedade sobre os riscos da poluição aérea;

- Desde 2006 a lei orgânica da cidade foi alterada para incentivar a implementação de políticas e procedimentos destinados a promover a aquisição de materiais, suprimentos, equipamentos e serviços de fornecedores ambientalmente amigáveis; 

- Para ajudar na orientação das ações, o prefeito convoca um grupo consultivo composto por moradores, empresas e especialistas em meio ambiente, conhecidos como Equipe Verde do prefeito;

- O grupo se reúne a cada dois meses e é apoiado por grupos de trabalho especializados em: transporte, crescimento e desenvolvimento, educação e trabalho, energia; empreendimentos, espaços verdes e construções verdes; 

Resultados:

- Recuperação de diversas áreas abandonadas ou contaminadas que foram revertidas em áreas de uso comum com funções ambientais ou de lazer. Um exemplo exitoso é o Parque Scioto Audubon, uma antiga área industrial degradada, localizada na margem do rio, que foi transformada em um belo parque de 48 hectares, utilizada como refúgio de animais e também para lazer e recreação;

 - Mais de 250 hortas comunitárias no município;

- Como consequência da remoção das barragens, diversos rios e córregos retornaram ao seu estado natural beneficiando a qualidade da água e da vida selvagem; 

- Muitos espaços verdes implantados na área central da cidade;

-Só em 2010, mais de sete hectares das plantas invasoras foram removidas de áreas naturais com a união do governo e voluntariado da sociedade civil;

- A partir de 2008, a frota de veículos da cidade foi ampliada em 20%.  Porém, a redução no uso de combustível derivado de petróleo foi de 41% no período, o que significou 13% a menos nas emissões de gases poluentes;

- Em 2015, os veículos da cidade consumiram 5,4% menos em combustíveis derivados do petróleo, em relação a 2014;

- Em 2013, foi inaugurado o primeiro sistema de energia solar em grande escala, com 2.650 painéis. É um sistema solar fotovoltaico de 636 KW, o que deve gerar mais de 800.000 kWh de eletricidade por ano. Esta é a energia suficiente para abastecer 85 casas por ano;

- Mais de vinte estações de carregamento para veículos elétricos, abertas ao público, distribuídas pela cidade;

- Com o Programa ME3, as empresas participantes identificaram milhões de dólares em economia, bem como reduções substanciais nas emissões de gases de efeito estufa e de resíduos enviados para o aterro; 

- Exemplos bem sucedidos na utilização do biogás: Na estação de tratamento das águas residuais, além da grande quantidade de água que retorna ao ambiente, os resíduos provenientes são transformados em energia que é utilizada para o funcionamento da própria estação; o lixo encaminhado para o aterro também gera biogás que é utilizado para fornecer combustível em um posto de gás natural comprimido, sendo que na cidade existe uma série de veículos que utilizam esse tipo de combustível;

- As iniciativas adotadas para o transporte fizeram com que Columbus recebesse muitos prêmios importantes no decorrer dos anos e por diversas instituições;

- Em 2015 ganhou o prêmio de Práticas de Sustentabilidade da Associação American Public Works, pela iniciativa de proteção ambiental Get Green;

- Também recebeu o Prêmio Excelência em Sustentabilidade, da Associação Nacional de Saúde Ambiental, pelas práticas inovadoras em sustentabilidade;

- A cidade de Columbus foi classificada em 21° na lista da Agência de Proteção Ambiental dos EUA das áreas metropolitanas americanas. A classificação diz respeito aos edifícios verdes melhor certificados. Entre as áreas metropolitanas com pelo menos 500.000 residentes, Columbus ficou em segundo lugar;

Instituições Envolvidas:

Governo Local do Município em parceria com diversas instituições públicas e privadas do Estado de Ohio, em especial a Autoridade de Resíduos Sólidos de Ohio que financia diversas atividades.

Contato:

Escritório de Gestão Ambiental

910 Dublin Road 
Columbus, OH 43215 

Phone: (614) 645-0815

Fontes:

Get Green

Central Ohio

Plano de Ação da Frota Verde

Veículos Elétricos

Composto Orgânico - COMTIL

Despejo Irregular de Lixo

Relatório do Programa ME3

Edifícios Verdes

Estratégias de Energia

 

 

18
última modificação: qua, 13/04/2016 - 16:04